Mandeville SDA
2015 - Igreja Adventista do Sétimo Dia de Língua Portuguesa de Long Island, New York
Introdução
As ondas sonoras chegam ao cérebro através de vibrações que são interpretadas pelas células nervosas que
entendem isso como um som.

No caso da música harmoniosa os neurônios atingem um estado de harmonia que se traduz como repouso da célula.
(Ex: Música Barroca)

O efeito oposto ocorre com sons estridentes da música agressiva, que trazem stress neuronal. Os nervos auditivos
possuem raízes distribuídas amplamente e fazem com que o som afete quase todos os órgãos do corpo. (Ex: Música
Rock)

A audição regular de músicas agressiva durante o trabalho ou estudo, causa tensão, dificulta a concentração e acarreta
uma baixa produtividade.

De acordo com Dr. Márcio Bontempo, estudos realizados pela Academia de Medicina da França, apontam o ruído
como responsável por grande parte das depressões e outras enfermidades orgânicas, sendo que um quinto das
internações psiquiátricas deveu-se a este mesmo motivo.

No entanto, em experiências realizadas com pessoas que ouviam a música rock e seus afins, o rendimento melhorou
expressivamente, quando deixaram de escutar esse tipo de música agressiva.

O ruído do cotidiano acima de 65 decibéis pode provocar desordens psico-orgânicas como úlceras, elevação da
pressão, redução da visão, redução do tempo de sono, problemas cardíacos, neuroses, problemas emocionais,
depressão e muitos outros.

O ouvido humano está preparado para resistir a ruídos de alta intensidade apenas por curtos períodos. Após 1 hora de
exposição a sons intensos de 100 decibéis, o sistema nervoso necessita de 40 horas para se recuperar completamente
desse “trauma”.

O som de alguns instrumentos também contribui trazendo efeitos benéficos, de acordo com o estudo realizado pelo
psiquiatra inglês Robert Schauffer, entre eles:
O piano auxilia no combate à depressão e melancolia;

Os metais de sopro inspiram coragem e força;

O violino pode afastar a sensação de insegurança;

A flauta transversal pode diminuir o nervosismo e a ansiedade.

Algumas pessoas submetidas à pressão sonora junto as caixas de som em concertos de rock e outros, podem ficar
surdas. Abaixo vemos alguns exemplos da parte de um estudo dos níveis sonoros realizado pela UFRGS, em Porto
Alegre:



















A boa música atua diretamente no subconsciente, despertando sentimentos elevados e harmonizando todos os
aspectos da pessoa.